Campanha da Fraternidade é lançada na Câmara

Igreja católica reuniu fiéis e lançou a Campanha da Fraternidade 2018 em evento no Poder Legislativo

 

Pela primeira vez a Câmara de Hortolândia foi palco do lançamento de uma Campanha da Fraternidade. O evento aconteceu na noite do dia 23 de fevereiro, e contou com a presença de autoridades municipais, eclesiásticas e a comunidade católica.

Com o lema Fraternidade e Superação da Violência, a Campanha da Igreja Católica deste ano busca mostrar à população as reais necessidades quando se fala de violência. Atualmente o Brasil tem uma política de enfrentamento de violência e a sociedade julga e culpa somente o produto final desta violência, os mais marginalizados. “Identificamos a violência pelo seu sintoma e logo encontramos um culpado. Por exemplo, o drogadicto é que representa a droga, mas pouco se fala sobre o narcotráfico. Elegem-se representantes dentro da política para defender os interesses do tráfico. Precisamos entender que não podemos culpar o adicto e sua família pelo problema, eles são vítimas deste sistema também”, comentou Toninho Evangelista, assessor da Equipe Nacional da Campanha da Fraternidade.

Entre vários pontos apontados pela Igreja Católica como necessitados de modificações está o sistema carcerário, que atualmente não recupera os presos. “Temos que olhar para essas pessoas encarceradas, em sua maioria pobres e negros, que estão lá sem terem sido julgados. Precisamos perceber que nosso sistema judiciário contribui para a piora da violência devido a demora dos julgamentos, tanto que muitos dos presos quando são julgados já cumpriram um terço da pena, ou até mais do que deveriam. Por isso a Igreja acredita que seja necessária uma política de ressocialização dentro dos presídios para que haja uma diminuição da violência”, elencou Toninho.

Para a Igreja Católica há a necessidade de trabalhar em várias frentes para superar a violência, buscar melhorar a saúde, educação e a segurança, pois elas farão a sociedade melhorar. Dar dignidade ao ser humano é essencial. “Olhem para Jesus, seus milagres não são fenômenos, eles tratam mais da dignidade humana. Ele realiza o milagre e diz: vá e se apresente ao sacerdote, aos senhora da lei, ele devolve a dignidade humana, pois a falta dela é geradora de exclusão social e, consequentemente, geradora de violência”, relata Toninho.

O assessor ainda ressaltou a importância dos políticos na superação da violência. “Temos que estar atentos à importância da política neste combate e superação, pois os legisladores podem criar leis que ajudem e melhorem as pessoas e não que as aniquilem, as excluindo ainda mais da sociedade”.

O presidente da Câmara, Zaca, também comentou a importância de levar este tema para dentro do Parlamento Hortolandense, ainda mais em tempos de violência escancarada e discursos de ódio. “Trazemos de forma inédita o lançamento da campanha para dentro desta Câmara. Queremos passar uma mensagem de paz e amor para nosso país, principalmente agora quando, infelizmente, vemos tantas lideranças nacionais usando o discurso de ódio para angariar votos e influenciando nossa juventude a agir de forma violenta”.

O padre da Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Campos Verdes, Matheus da Silva Bernardes, ressaltou que a Igreja Católica não foi criada para ser servida e sim para servir a toda a sociedade. “Não queremos servir só aos católicos, mas a todas as mulheres e homens de boa vontade e quando temos a oportunidade de tocar um tema tão importante para a sociedade, como a violência, talvez a mensagem que queiramos transmitir é que a Igreja não quer ser outra coisa além de um espaço de comunhão, onde as diversas áreas da sociedade possam trabalhar juntas para o bem comum e para a superação da violência. Hoje estamos aqui para criar pontes, nesta casa, a Igreja não quer ser um grupo separado, mas uma comunidade a serviço de todas as comunidades para o bem da nossa sociedade e para o município de Hortolândia”.

Estiveram presentes no evento os vereadores John Lenon (PDT), Clodoaldo (PSC), Ceará (PSDB), Professor João Pereira (PV) e Luiz (PRP), além do padre vigário forano da Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Rosolén, Rogério Penha, e o Padre Marcel Fabiano Prado, da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, no Vila Real.

SEGURANÇA

Ainda na mesma noite, o secretário de Segurança de Hortolândia, Luís Leite de Camargo, apresentou dados sobre a segurança da cidade, mostrando ações que visam diminuir os índices de violência na cidade. “Temos vários projetos que visam combater a violência, como o Programa Bem Me Quer Paz Se Quer, em parceria com a Guarda Municipal, onde conversamos sobre violência e drogas com alunos dos 5ºs anos do Ensino Municipal; uma equipe multidisciplinar que atua com pessoas em situação de vulnerabilidade social e achar uma maneira de reinseri-los na sociedade, com encaminhamentos a serviços de referência”.

Outra conquista importante foi a criação do telefone 153 para atendimentos de emergência da Guarda Municipal, facilitando o acesso da população à GM. “Também iniciamos a operação pancadão em 2017 e continuaremos este ano, onde atuamos com a Guarda Municipal, Polícia Militar, Conselho Tutelar, Agentes de Postura, de Trânsito e a Vigilância Sanitária para inibir o som alto, ou bares irregulares, atuamos em situações que possam incomodar a comunidade”, explicou o secretário.

Segundo Luís Leite, estas ações combinadas já mostraram resultados, sendo que os dados de 2017 mostram uma queda em algumas áreas da segurança. “Tivemos queda de 19,21% nos furtos de carros, de 14,65% nos roubos de veículos, 26,56% em roubos e 7,85% em furtos. Isso tudo se deve às ações criadas e trabalhadas em conjunto com diversos setores da Prefeitura, do Governo e da sociedade em geral”.

RUA JOSEPH PAUL JULIEN BURLANDY, 250 - PQ. GABRIEL - HORTOLÂNDIA/SP - CEP 13186-620 - TEL(19) 3897-9900

Horário de Atendimento ao Munícipe - De segunda a sexta-feira das 08:00 às 17:00 horas